Notícia

img

CONCURSO SENADO: PROVAS DEVEM SER EM TODAS AS CAPITAIS, DIZ COMISSãO


De acordo com o presidente da comissão organizadora do concurso Senado, as provas devem ser aplicadas em todas as capitais brasileiras.

As provas do novo concurso para o Senado Federal devem ser aplicadas em todas as capitais brasileiras. A estimativa é do presidente da comissão organizadora da seleção, Roberci Ribeiro. Em audiência pública realizada na quinta-feira, 5, ele explicou os motivos para a estratégia.

O principal argumento é que cerca de 100 mil pessoas podem se inscrever às vagas para servidor efetivo da Casa. A comissão trabalha com essa previsão tendo em vista a redução recente dos concursos realizados pelo Poder Executivo.

Além disso, a seleção para ingresso no Senado oferece diversos atrativos como salários de até R$19 mil para nível médio e R$30 mil para nível superior. Assim como auxílios, estabilidade e possibilidades de carreira.

Diante da grande procura, Ribeiro descarta a possibilidade que todo o concurso seja realizado apenas em Brasília. Assim como as seleções de 2008 e 2011, as etapas, ou pelo menos a prova objetiva, devem ocorrer em todas as capitais.

A depender do cargo, a procura deve ser maior. Das 40 vagas autorizadas para o concurso Senado, por exemplo, 24 são para técnico legislativo na especialidade de policial legislativo.

A carreira exige apenas o ensino médio completo e oferece ganhos de R$19.573,46 mensais. Para fins de comparação, a Agência Senado informou que um concurso em 2018 para soldado e oficial da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, com salários de R$3 mil a R$7 mil, resultou em 36 mil inscritos.

No caso do concurso para Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), realizado ano passado, foram 99 mil participantes na disputa por 86 vagas. Vale destacar que tais seleções foram regionais.

Fonte | Folha Dirigida